terça-feira, 2 de junho de 2015

ENCONTRO COM DEUS PARA HOMENS JUNHO DE 2015

Faça já sua inscrição. Esta é uma ótima oportunidade 
para você viver o sobrenatural com Deus. 

domingo, 17 de maio de 2015

DEVOCIONAL: O FRUTO DA COMPAIXÃO

Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. (1 João 3:16)
Nas costas da Inglaterra, existe um lugar muito perigoso, cheio de rochedos que têm posto a pique muitas embarcações. Certa vez, um navio apanhado por  um medonho temporal, naquele lugar perigoso, foi jogado de encontro aos recifes, perdendo-se completamente com toda a carga. A tripulação agarrou-se às pedras e de lá começou a pedir socorro.
Na manhã seguinte passava por ali um navio de pesca. Os pescadores viram os vultos dos náufragos, entre as rochas, fazendo sinais. Entraram então nos botes, remaram e foram em busca dos pobres náufragos. Lutaram contra as ondas, fizeram os maiores sacrifícios, mas conseguiram salvar todos eles. Todos, não; um deles ficou.
Recolhidos os náufragos, voltaram à cidade e deram notícia do que havia acontecido. "Todos se salvaram?" era a pergunta geral. O mestre de bordo respondia: "Salvamos todos, menos um. Não foi possível demorar mais tempo. Se ficássemos lá mais cinco minutos, morreríamos nós e ele. O mar estava furioso e os nossos homens muito cansados."
Achava-se no porto um rapaz, filho de uma viuva, conhecido pelo nome de João Marinheiro. Sabendo o que acontecera, sentiu imensa compaixão pelo náufrago que não pudera ser salvo, e disse então aos companheiros que o rodeavam: "Quem quer ir comigo salvar o que falta?" Logo se apresentaram diversos rapazes, tão abnegados quanto João Marinheiro. Formou-se a equipe, pronta para sair ao mar alto.
Quando a velha mãe de João Marinheiro soube da resolução do filho, correu ao porto e abraçando o jovem, suplicou-lhe: "Meu filho, não me deixe na miséria. Seu pai morreu no mar quando você era pequeno. O seu irmão Guilherme há cinco anos desapareceu, embarcou em um navio estrangeiro e nunca mais voltou. Certamente já morreu por lá. Agora, meu Joãozinho. você quer deixar-me sozinha e abandonada?"
A pobre velhinha começou a chorar, agarrada ao pescoço do filho. Ò rapaz ficou com pena dela, mas a morte do náufrago preocupava-o ainda mais. Desvencilhou-se carinhosamente dos braços da boa velhinha, beijou-lhe as faces enrugadas, entregou-a aos cuidados de um velho amigo e fez-se ao mar.
Com muita dificuldade ele e seus companheiros, conseguiram andar pelos rochedos e, num pequeno bote, entraram pelo meio dos recifes e foram procurando o náufrago. Gritaram, fizeram barulho para ver se o homem dava sinal de vida, mas ... nada. Finalmente o encontraram no alto de uma penha, desfalecido de fome, de sede e de frio. Sem perder tempo, o tomaram nos braços, entraram no bote e o levaram para o barco, onde lhe deram café quente. Fizeram-lhe depois algumas massagens e quando ele já estava reanimado, ofereceram-lhe alimento.
Rumo à cidade, dois depois chegavam ao anoitecer, sendo esperados por um grande número de pessoas. E o velho amigo, a quem João confiara a mãe, foi o primeiro a gritar do cais: "Olá, João, como foi? Salvou mesmo o homem?" E João Marinheiro, da proa do navio respondeu: "Sim, salvamos o homem! E, olhe, corra a casa e diga a mamãe que o náufrago que trouxemos é o meu irmão Guilherme."
O jovem desta história, não foi salvar o náufrago por ser seu irmão, aliás ele não sabia quem era. O espírito de Cristo sobrepujou ao deste jovem, porque Ele veio para servir e morrer, não só por Seu povo, mas por toda a raça humana, inimiga Sua e indigna do Seu amor.
Aplicação: O que eu e você estamos esperando para resgatar aquelas pessoas que perderam-se nos rochedos da tristeza, das drogas, da depressão, da frieza espiritual?
É hora de agir, é hora de orar pelos perdidos e de levar Jesus, a começar pela sua própria família e pelos seus amigos.
         Autor: Pr Ricardo Rui


quinta-feira, 30 de abril de 2015

Número de muçulmanos que se convertem ao cristianismo aumenta em Berlim

Número de muçulmanos que se convertem ao cristianismo aumenta em Berlim

berlim
BERLIM — Duas vezes por mês, a Igreja da Trindade, no bairro berlinense de Steglitz, é palco de um ritual que chama a atenção. Logo no início da liturgia de três horas e meia, a pia de batismo é cercada por adultos que recebem o sacramento do pastor Gottfried Martens. Quando batizados, os muçulmanos de Irã, Síria ou Afeganistão têm atrás de si uma odisseia de intolerância, opressão, violência ou guerra civil. Com a conversão ao cristianismo, eles dão um ponto final às suas biografias anteriores, nas quais a religião era mais um motivo de conflito do que do encontro da paz.
A Igreja da Trindade, evangélica luterana, não é a única da Alemanha que registra um movimento contra a corrente. Em todo o país, milhares de muçulmanos converteram-se ao cristianismo nos últimos anos. Segundo Gottfried Martens, de 52 anos, quanto maior é o debate sobre o fundamentalismo e o jihadismo na mídia, maior é também o interesse de jovens muçulmanos pelas religiões cristãs.
Mas o fundamentalismo religioso nos países de origem é também um fator importante na decisão da conversão. Somaye, uma iraniana convertida ao cristianismo, afirma que resolveu deixar de ser muçulmana no dia em que começou a ser perseguida pela polícia religiosa do seu país.
— Eu estava fora de casa quando fui informada por amigos que a minha casa tinha sido vasculhada pela polícia religiosa, que encontrou no meu quarto uma Bíblia, um delito grave para um muçulmano no Irã — revela a iraniana de 29 anos.
Uma conversão ao cristianismo só é possível no exílio. Países como o Irã, que têm uma polícia religiosa com poderes ainda maiores do que a Justiça comum, classificam a conversão como um crime tão grave que deve ser punido com a pena de morte.
Para evitar a perseguição no exílio, a igreja alemã mantém sigilo sobre os convertidos, embora o batismo, que é a coroação do processo de conversão, seja aberto ao público. A Igreja da Trindade batiza atualmente mais adultos muçulmanos do que crianças. Dois domingos do mês são dedicados ao batismo de muçulmanos adultos, enquanto os domingos restantes, alternados, têm como centro da liturgia o batismo de crianças.
Com orações rezadas em farsi (idioma do Irã) e em árabe, a missa dos convertidos da igreja de Steglitz termina com comemorações pelos novos cristãos e um bufê com especialidades dos países de origem dos batizados.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Elogie do jeito certo!

elogie do jeito certo
Recentemente um grupo de crianças pequenas passou por um teste muito interessante[1]. Psicólogos propuseram uma tarefa de média dificuldade, mas que as crianças executariam sem grandes problemas. Todas conseguiram terminar a tarefa depois de certo tempo. Em seguida, foram divididas em dois grupos.
O grupo A foi elogiado quanto à inteligência. “Uau, como você é inteligente!”, “Que esperta que você é!”, “Menino, que orgulho de ver o quanto você é genial!” … e outros elogios à capacidade de cada criança.
O grupo B foi elogiado quanto ao esforço. “Menina, gostei de ver o quanto você se dedicou na tarefa!”, “Menino, que legal ter visto seu esforço!”, “Uau, que persistência você mostrou. Tentou, tentou, até conseguir, muito bem!” … e outros elogios relacionados ao trabalho realizado e não à criança em si.
Depois dessa fase, uma nova tarefa de dificuldade equivalente à primeira foi proposta aos dois grupos de crianças. Elas não eram obrigadas a cumprir a tarefa, podiam escolher se queriam ou não, sem qualquer tipo de consequência.
As respostas das crianças surpreenderam. A grande maioria das crianças do grupo A simplesmente recusou a segunda tarefa. As crianças não queriam nem tentar. Por outro lado, quase todas as crianças do grupo B aceitaram tentar. Não recusaram a nova tarefa.
A explicação é simples e nos ajuda a compreender como elogiar nossos filhos e nossos alunos. O ser humano foge de experiências que possam ser desagradáveis. As crianças “inteligentes” não querem o sentimento de frustração de não conseguir realizar uma tarefa, pois isso pode modificar a imagem que os adultos têm delas. “Se eu não conseguir, eles não vão mais dizer que sou inteligente”. As “esforçadas” não ficam com medo de tentar, pois mesmo que não consigam é o esforço que será elogiado. Nós sabemos de muitos casos de jovens considerados inteligentes não passarem no vestibular, enquanto aqueles jovens “médios” obterem a vitória. Os inteligentes confiaram demais em sua capacidade e deixaram de se preparar adequadamente. Os outros sabiam que se não tivessem um excelente preparo não seriam aprovados e, justamente por isso, estudaram mais, resolveram mais exercícios, leram e se aprofundaram melhor em cada uma das disciplinas.
No entanto, isso não é tudo. Além dos conteúdos escolares, nossos filhos precisam aprender valores, princípios e ética. Precisam respeitar as diferenças, lutar contra o preconceito, adquirir hábitos saudáveis e construir amizades sólidas. Não se consegue nada disso por meio de elogios frágeis, focados no ego de cada um. É preciso que sejam incentivados constantemente a agir assim. Isso se faz com elogios, feedbacks e incentivos ao comportamento esperado.
Nossos filhos precisam ouvir frases como: “Que bom que você o ajudou, você tem um bom coração”, “parabéns meu filho por ter dito a verdade apesar de estar com medo… você é ético”, “filha, fiquei orgulhoso de você ter dado atenção àquela menina nova ao invés de tê-la excluído como algumas colegas fizeram… você é solidária”, “isso mesmo filho, deixar seu primo brincar com seu videogame foi muito  legal, você é um bom amigo”. Elogios desse tipo estão fundamentados em ações reais e reforçam o comportamento da criança que tenderá a repeti-los. Isso não é “tática” paterna, é incentivo real.
Por outro lado, elogiar superficialidades é uma tendência atual. “Que linda você é amor”, “acho você muito esperto meu filho”, “Como você é charmoso”, “que cabelo lindo”, “seus olhos são tão bonitos”. Elogios como esses não estão baseados em fatos, nem em comportamentos, nem em atitudes. São apenas impressões e interpretações dos adultos. Em breve, crianças como essas estarão fazendo chantagens emocionais, birras, manhas e “charminhos”. Quando adultos, não terão desenvolvido resistência à frustração e a fragilidade emocional estará presente.
Homens e mulheres de personalidade forte e saudável são como carvalhos que crescem nas encostas de montanhas. Os ventos não os derrubam, pois cresceram na presença deles. São frondosos, copas grandes e o verde de suas folhas mostra vigor, pois se alimentaram da terra fértil.
Que nossos filhos recebam o vento e a terra adubada por nossa postura firme e carinhosa.
Autor: Marcos Meier é uma das maiores autoridades brasileiras na teoria israelense de Feuerstein sobre a qualidade da interação pai-filho ou professor-aluno. Caso tenha interesse, contrate-o para palestras em sua escola, empresa ou instituição de forma direta, sem intermediários, pelo site www.meiererolim.com.br.
Universidade da Família.

quarta-feira, 11 de março de 2015

O SOBRENATURAL DE DEUS! (Sid Roth) Muçulmano à beira da morte clama a Jesus.


Nasir Siddik, um muçulmano convertido a Jesus, foi diagnosticado com o pior caso de "herpes-zoster" já visto pela medicina. No hospital, desenganado pelos médicos - pois seu sistema imunológico não combatia - ele temeu a morte e clamou a Cristo por sua vida. E então, naquele quarto do hospital, viu a figura sobrenatural em forma humana, com uma luz radiante: Era JESUS. 
Depois foi sua esposa q ficou doente, e seu irmão, na Inglaterra, morreu, e foi ressuscitado no necrotério do hospital através da oração de Nasir e sua esposa, e conta o que viu do outro lado. IMPRESSIONANTE !

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Sê tu uma benção!

Gênesis 12:2-3 "...de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma benção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra." Agora Medite: Eita promessa maravilhosa é essa, não é verdade? Deus nos exaltará, ou seja, a situação que hoje nos humilha e nos envergonha, Deus nos honrará... e as pessoas que hoje nos humilham, serão envergonhadas... e claro, que todos que nos ajudam, receberão do Senhor suas devidas recompensas. Esse Deus é muito maravilhoso mesmo! Sejamos sim uma benção!!!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Priscila Coelho conta como deixou o homossexualismo

Priscila Coelho conta como deixou o homossexualismo
“Percebia que Ele é a paz que eu tanto queria e não conseguia encontrar nas drogas e nem em mulher alguma.”

Priscila Coelho entrevista Aline Barros
Apresentadora do programa Amplificador da Rede Super de Televisão, Priscila Coelho (28)  conta sem pudor a sua história de conversão a Cristo. Ela revela ter sofrido abuso sexual na infância e relata como Deus transformou sua vida e preencheu todo o vazio que sofria durante a juventude. Confira o milagre de transformação que Jesus operou na vida da apresentadora mais descontraída da telinha da Super.
“Vivi até os 24 anos uma vida louca, embora tenha nascido em um lar cristão com um pai pastor e uma mãe nascida de novo. Fui crescendo muito “louca”. Morava com meus avôs e desde pequena “aprontava muito”. Fui molestada com cinco anos e desde então minha vida mudou completamente. Essa ação mudou minha cabeça. Fui crescendo com a ideia do sexo muito presente na minha cabeça.
Acreditava que tinha que satisfazer os “caras” e fazia coisas que só Deus poderia resgatar mesmo! Aos 14 anos, não satisfeita em ficar só com os garotos, passei a me relacionar com mulheres. Eu tinha um tio gay, que morreu assassinado. Acredito que ele despertou em mim algo que eu já gostava. Então, em um dia, ele me disse que era gay, e essa informação mexeu comigo. Descobri que eu também gostava de me relacionar com pessoa do mesmo sexo, mas não foi culpa dele. Eu Já tinha certo interesse! Ele apenas despertou o que estava dentro de mim.
Desde pequena eu brincava com objetos de meninos e gostava de jogar bola, vídeo game, não era muito fã de brincadeiras de menina. Acabei me relacionando com uma garota, mas quando me relacionava com mulheres tentava reproduzir, não de forma física, mas psicológica aquilo que eu sofri durante o abuso sexual. Procurava manter as meninas sob domínio e queria que elas ficassem apaixonadas por mim. Aproveitava do sentimento delas e “pisava”. Minha adolescência e juventude foram muito conturbadas. Como um abismo chama o outro, comecei a beber e usar drogas. Usava muita cocaína. Tinha em mente que existia um Deus e que ele não estava satisfeito com o que eu fazia, não apenas com o fato de ser lésbica, mas com todas as minhas ações. Tratava minha mãe mal, havia muito mágoa em meu coração e fazia muita coisa errada.
Apresentadora em um dos cultos da Lagoinha
Quando cheirava cocaína no banheiro, parecia que alguém me dizia: “Você não nasceu para isso”. Só que eu achava que era “onda” (parte dos efeitos alucinógenos da droga). Eu pensava assim: “Nossa, fiquei doida mesmo”. Mas quando chegava em casa e deitava a cabeça no travesseiro, aquela mesma voz dizia assim: “Olha, você não nasceu para isso. Você não encontra felicidade nisso”. A voz me consolava, e fui percebendo que a voz era do Deus que minha mãe servia.
Eu sempre chegava da “night” doida e chapada, e via minha mãe assistindo televisão. Ela assistia ao Silas Malafaia, e como ele geralmente gritava muito, detestava ouvir a voz dele. Achava que ele era um tipo de “Ratinho gospel”. Ela assistia à ministração enquanto fazia crochê com muita paz. Eu entrava no quarto e pensava comigo mesma que eu desejava o Deus que a minha mãe serve. Percebia que Ele era o Deus da paz que eu tanto queria e não conseguia encontrar nas drogas e nem em mulher alguma.
Mas a vida seguiu, comecei a namorar uma menina que morava no Rio de Janeiro. E a distância me fez ver Deus. Realmente Deus é maravilhoso e usou das coisas loucas para falar comigo. Eu sempre queria ter tudo sobre o meu domínio, e como ela morava longe eu não conseguia. Em 2007, fiquei naquela loucura de ir entre Rio e BH. Usava muita droga para aguentar a ausência dela. E certo dia decidi morar no Rio para ficar com ela.
Mas antes de ir para o lá, comecei a frequentar os cultos do André Valadão. Era um dos únicos cultos que eu gostava de ir. Eu chegava à Lagoinha, sentia a música e pensava que o pastor André não era “lero lero”. Comecei a gostar, mas toda vez que eu pensava em me converter, imaginava que devia largar o lesbianismo, e como não queria, ficava adiando.
Quando cheguei ao Rio, notei que não era o que Deus queria para minha vida, percebia que Ele me queria para si. Em um dos dias que estive na cidade maravilhosa, fui para a Barra da Tijuca. Observando toda aquela vista linda notei que o vazio permanecia dentro de mim. Então, pensei que tudo aquilo que eu estava vivendo era errado, e foi então que vi minha ex-namorada pela última vez. Estávamos em uma festa trance, e ela me disse que não queria mais ficar comigo, pois percebia que havia algo impedindo o nosso namoro.
Voltei para a minha casa sem entender o que estava impedindo o meu relacionamento e vi que era o Deus da minha mãe me chamando para ficar com ele. No outro dia fui ver o mar e falei com Deus: “Não sei o que vai acontecer daqui para frente, mas quero que o Senhor seja o meu Deus e que mude a minha vida”. Depois de uma semana voltei para Belo Horizonte e fui para o Impacto Vida, retiro evangelístico, direcionado àqueles que ainda não são convertidos. E fui de coração aberto.
Retornei na segunda-feira e decidi largar tudo. Não foi a igreja e nem nenhuma oposição, mas Deus falou ao meu coração que aquilo que sempre procurei havia acabado de encontrar. E realmente a minha vida mudou. Deus mudou o meu interior, o meu exterior Ele usa hoje para mudar a vida de outras pessoas. Deus me fala que tudo o que sou é por causa dele. E o externo Ele não mexe, o importante é o que está no coração e o que a gente vive!”

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O abecedário do casamento cristão

 Eis aqui um Alfabeto fabuloso sobre o casamento. Achei tão interessante que acredito que é algo que se deve ter impresso para que guardemos em nosso coração, são versículos preciosos que ajudarão o seu casamento estar fundamentado ainda mais na Rocha.
Desfrutem desse lindo ABECEDÁRIO que o Prs Davi e Carol Sue Merkh escreveram ao longo dos seus 28 anos de casamento.

Abracem seus respectivos papéis de liderança amorosa e submissão respeitosa.
As mulheres sejam submissas a seus próprios maridos, como ao Senhor…Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja…Cada um de per si, também ame a sua própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido (Ef 5.22,25,33)
Busquem desenvolver sua amizade ao longo de suas vidas.
Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão (Pv 17.17)
Como o ferro com o ferro se afia, assim o homem ao seu amigo. (Pv 27.17)
Confiem única e exclusivamente em Cristo para construir seu lar
Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam (Sl 127.1)
Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes em teu próprio entendimento (Pv 3.5)
Desliguem a televisão!
Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará. Longe de mim o coração perverso; não quero conhecer o mal (Sl 101.3,4)
Escutem antes de falar.
O insensato não tem prazer no entendimento, senão em externar o seu interior (Pv 18.2)
Fujam da dívida!
O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta (Pv 22.7)
Gastem tempo juntos nas refeições (sem distrações).
Estas palavras…tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa…(Dt 6,6,7)
Honrem publicamente um ao outro
A esposa respeite a seu marido…Maridos…vivei a vida comum do lar, com discernimento; e tendo consideração para com a vossa mulher, como parte mais frágil, tratai-a com dignidade…(Ef 5.32; 1 Pe 3.7)
Invistam no Reino de Deus e coisas eternas: a Palavra de Deus, a Pessoa de Deus, o povo de Deus
Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de Deus…(Mt 6.33)
Jamais durmam bravos (guardando mágoas).
Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo (Ef 4.26,27)
Louvem a Deus JUNTOS na igreja
Consideremo-nos também uns aos outros para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima (Hb 10.24,25)…
Ministrem juntos
Eu e a minha casa, serviremos ao Senhor! (Js 24.15; 2 Co 6.14,15)
Nunca permitam que os filhos, pais ou outros terceiros sejam o CENTRO de suas vidas
Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne (Gn 2.24)
Orem juntos.
Orai sem cessar…orai uns pelos outros…Sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações (1 Ts 5.19; Tg 5.16; 1 Pe 3.7)
Peçam (e concedam) perdão (não desculpas) sempre que alguém erre.
Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta (Mt 5.23,24; Pv 28.13; Tg 5.16)
Quando não conseguem resolver um problema, procurem ajuda!
Como águas profundas são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los…Na multidão de conselheiros há segurança…Instrui-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria (Pv 20.5;  Pv 11.14; Cl 3.16  multidão)
Respeitem as opiniões contrárias um do outro: se os dois sempre concordarem, um é desnecessário!
Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea (Gn 2.18)
Separem os PRIMEIROS MOMENTOS depois de chegarem em casa para um “Tempo de Sofá”
Vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher, como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, por isso que sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida… (1 Pe 3.7)
Tirem a palavra “Divórcio” do seu vocabulário
O Senhor Deus de Israel diz que odeia o divórcio (Ml 2.16)
Unam-se diante dos filhos.
Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne (Gn 2.24)
Vão para cama juntos (no mesmo horário).
Não vos priveis um ao outro,salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e novamente vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência (1 Co 7.5)
Xingar, só cachorro! 
Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e, sim, unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e assim transmita graça aos que ouvem (Ef 4.29)
Zelem pelo prazer sexual DO OUTRO, não de si mesmo.
O meu amado é meu, e eu sou dele…A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, a mulher. (Ct 2.16; 1 Co 7.1-5)

terça-feira, 9 de setembro de 2014

As 95 Teses de Martinho Lutero

As 95 Teses de Martinho Luteropor
Martinho Lutero

 Em 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da capela de  Wittemberg 95 teses que gostaria de discutir com os teólogos católicos, as quais versavam principalmente sobre penitência, indulgências e a salvação pela fé. O evento marca o início da Reforma Protestante, de onde posteriormente veio a Igreja Presbiteriana, e representa um marco e um ponto de partida para a recuperação das sãs doutrinas. 


Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. padre Martinho Lutero, o que segue. Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito.
Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.
 
1ª Tese
Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos...., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo arrependimento.
2ª Tese
E esta expressão não pode e não deve ser interpretada como referindo-se ao sacramento da penitência, isto é, à confissão e satisfação, a cargo do ofício dos sacerdotes.
3ª Tese
Todavia não quer que apenas se entenda o arrependimento interno; o arrependimento interno nem mesmo é arrependimento quando não produz toda sorte de modificações da carne.
4ª Tese
Assim sendo, o arrependimento e o pesar, isto é, a verdadeira penitência, perdura enquanto o homem se desagradar de si mesmo, a saber, até a entrada desta para a vida eterna.
5ª Tese
O papa não quer e não pode dispensar outras penas, além das que impôs ao seu alvitre ou em acordo com os cânones, que são estatutos papais.
6ª Tese
O papa não pode perdoar divida senão declarar e confirmar aquilo que Já foi perdoado por Deus; ou então faz nos casos que lhe foram reservados. Nestes casos, se desprezados, a dívida deixaria de ser em absoluto anulada ou perdoada.
7ª Tese
Deus a ninguém perdoa a dívida sem que ao mesmo tempo o subordine, em sincera humildade, ao sacerdote, seu vigário.
8ª Tese
Canones poenitendiales, que não as ordenanças de prescrição da maneira em que se deve confessar e expiar, apenas aio Impostas aos vivos, e, de acordo com as mesmas ordenanças, não dizem respeito aos moribundos.
9ª Tese
Eis porque o Espírito Santo nos faz bem mediante o papa, excluído este de todos os seus decretos ou direitos o artigo da morte e da necessidade suprema
10ª Tese
Procedem desajuizadamente e mal os sacerdotes que reservam e impõem aos moribundos poenitentias canonicas ou penitências para o purgatório a fim de ali serem cumpridas.
11ª Tese
Este joio, que é o de se transformar a penitência e satisfação, Previstas pelos cânones ou estatutos, em penitência ou penas do purgatório, foi semeado quando os bispos se achavam dormindo.
12ª Tese
Outrora canonicae poenae, ou sejam penitência e satisfação por pecadores cometidos eram impostos, não depois, mas antes da absolvição, com a finalidade de provar a sinceridade do arrependimento e do pesar.
13ª Tese
Os moribundos tudo satisfazem com a sua morte e estão mortos para o direito canônico, sendo, portanto, dispensados, com justiça, de sua imposição.
14ª Tese
Piedade ou amor Imperfeitos da parte daquele que se acha às portas da morte necessariamente resultam em grande temor; logo, quanto menor o amor, tanto maior o temor.
15ª Tese
Este temor e espanto em si tão só, sem falar de outras cousas, bastam para causar o tormento e o horror do purgatório, pois que se avizinham da angústia do desespero.
16ª Tese
Inferno, purgatório e céu parecem ser tão diferentes quanto o são um do outro o desespero completo, incompleto ou quase desespero e certeza.
17ª Tese
Parece que assim como no purgatório diminuem a angústia e o espanto das almas, nelas também deve crescer e aumentar o amor.
18ª Tese
Bem assim parece não ter sido provado, nem por boas ações e nem pela Escritura, que as almas no purgatório se encontram fora da possibilidade do mérito ou do crescimento no amor.
19ª Tese
Ainda parece não ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem por ela, não obstante nós termos absoluta certeza disto.
20ª Tese
Por isso o papa não quer dizer e nem compreende com as palavras “perdão plenário de todas as penas” que todo o tormento é perdoado, mas as penas por ele impostas.
21ª Tese
Eis porque erram os apregoadores de indulgências ao afirmarem ser o homem perdoado de todas as penas e salvo mediante a indulgência do papa.
22ª Tese
Pensa com efeito, o papa nenhuma pena dispensa às almas no purgatório das que segundo os cânones da Igreja deviam ter expiado e pago na presente vida.
23ª Tese
Verdade é que se houver qualquer perdão plenário das penas, este apenas será dado aos mais perfeitos, que são muito poucos.
24ª Tese
Assim sendo, a maioria do povo é ludibriada com as pomposas promessas do indistinto perdão, impressionando-se o homem singelo com as penas pagas.
25ª Tese
Exatamente o mesmo poder geral, que o papa tem sobre o purgatório, qualquer bispo e cura d'almas o tem no seu bispado e na sua paróquia, quer de modo especial e quer para com os seus em particular.
26ª Tese
O papa faz muito bem em não conceder às almas o perdão em virtude do poder das chaves (ao qual não possui), mas pela ajuda ou em forma de intercessão.
27ª Tese
Pregam futilidades humanas quantos alegam que no momento em que a moeda soa ao cair na caixa a alma se vai do purgatório.
28ª Tese
Certo é que no momento em que a moeda soa na caixa vêm o lucro e o amor ao dinheiro cresce e aumenta; a ajuda, porém, ou a intercessão da Igreja tão só correspondem à vontade e ao agrado de Deus.
29ª Tese
E quem sabe, se todas as almas do purgatório querem ser libertadas, quando há quem diga o que sucedeu com Santo Severino e Pascoal.
30ª Tese
Ninguém tem certeza da suficiência do seu arrependimento e pesar verdadeiros; muito menos certeza pode ter de haver alcançado pleno perdão dos seus pecados.
31ª Tese
Tão raro como existe alguém que possui arrependimento e, pesar verdadeiros, tão raro também é aquele que verdadeiramente alcança indulgência, sendo bem poucos os que se encontram.
32ª Tese
Irão para o diabo juntamente com os seus mestres aqueles que julgam obter certeza de sua salvação mediante breves de indulgência.
33ª Tese
Há que acautelasse muito e ter cuidado daqueles que dizem: A indulgência do papa é a mais sublime e mais preciosa graça ou dadiva de Deus, pela qual o homem é reconciliado com Deus.
34ª Tese
Tanto assim que a graça da indulgência apenas se refere à pena satisfatória estipulada por homens.
35ª Tese
Ensinam de maneira ímpia quantos alegam que aqueles que querem livrar almas do purgatório ou adquirir breves de confissão não necessitam de arrependimento e pesar.
36ª Tese
Todo e qualquer cristão que se arrepende verdadeiramente dos seus pecados, sente pesar por ter pecado, tem pleno perdão da pena e da dívida, perdão esse que lhe pertence mesmo sem breve de indulgência.
37ª Tese
Todo e qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, é participante de todos os bens de Cristo e da Igreja, dádiva de Deus, mesmo sem breve de indulgência.
38ª Tese
Entretanto se não deve desprezar o perdão e a distribuição por parte do papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão constitui uma declaração do perdão divino.
39ª Tese
É extremamente difícil, mesmo para os mais doutos teólogos, exaltar diante do povo ao mesmo tempo a grande riqueza da indulgência e ao contrário o verdadeiro arrependimento e pesar.
40ª Tese
O verdadeiro arrependimento e pesar buscam e amam o castigo: mas a profusão da indulgência livra das penas e faz com que se as aborreça, pelo menos quando há oportunidade para isso.
41ª Tese
É necessário pregar cautelosamente sobre a indulgência papal para que o homem singelo não julgue erroneamente ser a indulgência preferível às demais obras de caridade ou melhor do que elas.
42ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, não ser pensamento e opinião do papa que a aquisição de indulgência de alguma maneira possa ser comparada com qualquer obra de caridade.
43ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos proceder melhor quem dá aos pobres ou empresta aos necessitados do que os que compram indulgências.
44ª Tese
Ê que pela obra de caridade cresce o amor ao próximo e o homem torna-se mais piedoso; pelas indulgências, porém, não se torna melhor senão mais seguro e livre da pena.
45ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que aquele que vê seu próximo padecer necessidade e a despeito disto gasta dinheiro com indulgências, não adquire indulgências do papa. mas provoca a ira de Deus.
46ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem fartura , fiquem com o necessário para a casa e de maneira nenhuma o esbanjem com indulgências.
47ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, ser a compra de indulgências livre e não ordenada
48ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa precisa conceder mais indulgências, mais necessita de uma oração fervorosa do que de dinheiro.
49ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, serem muito boas as indulgências do papa enquanto o homem não confiar nelas; mas muito prejudiciais quando, em conseqüência delas, se perde o temor de Deus.
50ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgências, preferiria ver a catedral de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.
51ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que o papa, por dever seu, preferiria distribuir o seu dinheiro aos que em geral são despojados do dinheiro pelos apregoadores de indulgências, vendendo, se necessário fosse, a própria catedral de São Pedro.
52º Tese
Comete-se injustiça contra a Palavra de Deus quando, no mesmo sermão, se consagra tanto ou mais tempo à indulgência do que à pregação da Palavra do Senhor.
53ª Tese
São inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a Palavra de Deus nas demais igrejas.
54ª Tese
Esperar ser salvo mediante breves de indulgência é vaidade e mentira, mesmo se o comissário de indulgências, mesmo se o próprio papa oferecesse sua alma como garantia.
55ª Tese
A intenção do papa não pode ser outra do que celebrar a indulgência, que é a causa menor, com um sino, uma pompa e uma cerimônia, enquanto o Evangelho, que é o essencial, importa ser anunciado mediante cem sinos, centenas de pompas e solenidades.
56ª Tese
Os tesouros da Igreja, dos quais o papa tira e distribui as indulgências, não são bastante mencionados e nem suficientemente conhecido na Igreja de Cristo.
57ª Tese
Que não são bens temporais, é evidente, porquanto muitos pregadores a estes não distribuem com facilidade, antes os ajuntam.
58ª Tese
Tão pouco são os merecimentos de Cristo e dos santos, porquanto estes sempre são eficientes e, independentemente do papa, operam salvação do homem interior e a cruz, a morte e o inferno para o homem exterior.
59ª Tese
São Lourenço aos pobres chamava tesouros da Igreja, mas no sentido em que a palavra era usada na sua época.
60ª Tese
Afirmamos com boa razão, sem temeridade ou leviandade, que estes tesouros são as chaves da Igreja, a ela dado pelo merecimento de Cristo.
61ª Tese
Evidente é que para o perdão de penas e para a absolvição em determinados casos o poder do papa por si só basta.
62ª Tese
O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.
63ª Tese
Este tesouro, porém, é muito desprezado e odiado, porquanto faz com que os primeiros sejam os últimos.
64ª Tese
Enquanto isso o tesouro das indulgências é sabiamente o mais apreciado, porquanto faz com que os últimos sejam os primeiros.
65ª Tese
Por essa razão os tesouros evangélicos outrora foram as redes com que se apanhavam os ricos e abastados.
66ª Tese
Os tesouros das indulgências, porém, são as redes com que hoje se apanham as riquezas dos homens.
67ª Tese
As indulgências apregoadas pelos seus vendedores como a mais sublime graça decerto assim são consideradas porque lhes trazem grandes proventos.
68ª Tese
Nem por isso semelhante indigência não deixa de ser a mais Intima graça comparada com a graça de Deus e a piedade da cruz.
69ª Tese
Os bispos e os sacerdotes são obrigados a receber os comissários das indulgências apostólicas com toda a reverência-
70ª Tese
Entretanto têm muito maior dever de conservar abertos olhos e ouvidos, para que estes comissários, em vez de cumprirem as ordens recebidas do papa, não preguem os seus próprios sonhos.
71ª Tese
Aquele, porém, que se insurgir contra as palavras insolentes e arrogantes dos apregoadores de indulgências, seja abençoado.
72ª Tese
Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.
73ª Tese
Da mesma maneira em que o papa usa de justiça ao fulminar com a excomunhão aos que em prejuízo do comércio de indulgências procedem astuciosamente.
74ª Tese
Muito mais deseja atingir com o desfavor e a excomunhão àqueles que, sob o pretexto de indulgência, prejudiquem a santa caridade e a verdade pela sua maneira de agir.
75ª Tese
Considerar as indulgências do papa tão poderosas, a ponto de poderem absolver alguém dos pecados, mesmo que (cousa impossível) tivesse desonrado a mãe de Deus, significa ser demente.
78 ª Tese
Bem ao contrario, afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo o menor pecado venial pode anular o que diz respeito à culpa que constitui.
77ª Tese
Dizer que mesmo São Pedro, se agora fosse papa, não poderia dispensar maior indulgência, significa blasfemar S. Pedro e o papa.
78ª Tese
Em contrario dizemos que o atual papa, e todos os que o sucederam, é detentor de muito maior indulgência, isto é, o Evangelho, as virtudes o dom de curar, etc., de acordo com o que diz 1Coríntios 12.
79ª Tese
Afirmar ter a cruz de indulgências adornada com as armas do papa e colocada na igreja tanto valor como a própria cruz de Cristo, é blasfêmia.
80ª Tese
Os bispos, padres e teólogos que consentem em semelhante linguagem diante do povo, terão de prestar contas deste procedimento.
81ª Tese
Semelhante pregação, a enaltecer atrevida e insolentemente a Indulgência, faz com que mesmo a homens doutos é difícil proteger a devida reverência ao papa contra a maledicência e as fortes objeções dos leigos.
82 ª Tese
Eis um exemplo: Por que o papa não tira duma só vez todas as almas do purgatório, movido por santíssima' caridade e em face da mais premente necessidade das almas, que seria justíssimo motivo para tanto, quando em troca de vil dinheiro para a construção da catedral de S. Pedro, livra um sem número de almas, logo por motivo bastante Insignificante?
83ª Tese
Outrossim: Por que continuam as exéquias e missas de ano em sufrágio das almas dos defuntos e não se devolve o dinheiro recebido para o mesmo fim ou não se permite os doadores busquem de novo os benefícios ou pretendas oferecidos em favor dos mortos, visto' ser Injusto continuar a rezar pelos já resgatados?
84ª Tese
Ainda: Que nova piedade de Deus e dó papa é esta, que permite a um ímpio e inimigo resgatar uma alma piedosa e agradável a Deus por amor ao dinheiro e não resgatar esta mesma alma piedosa e querida de sua grande necessidade por livre amor e sem paga?
85ª Tese
Ainda: Por que os cânones de penitencia, que, de fato, faz muito caducaram e morreram pelo desuso, tornam a ser resgatados mediante dinheiro em forma de indulgência como se continuassem bem vivos e em vigor?
86ª Tese
Ainda: Por que o papa, cuja fortuna hoje é mais principesca do que a de qualquer Credo, não prefere edificar a catedral de S. Pedro de seu próprio bolso em vez de o fazer com o dinheiro de fiéis pobres?
87ª Tese
Ainda: Quê ou que parte concede o papa do dinheiro proveniente de indulgências aos que pela penitência completa assiste o direito à indulgência plenária?
88ª Tese
Afinal: Que maior bem poderia receber a Igreja, se o papa, como Já O faz, cem vezes ao dia, concedesse a cada fiel semelhante dispensa e participação da indulgência a título gratuito.
89ª Tese
Visto o papa visar mais a salvação das almas do que o dinheiro, por que revoga os breves de indulgência outrora por ele concedidos, aos quais atribuía as mesmas virtudes?
90ª Tese
Refutar estes argumentos sagazes dos leigos pelo uso da força e não mediante argumentos da lógica, significa entregar a Igreja e o papa a zombaria dos inimigos e desgraçar os cristãos.
91ª Tese
Se a Indulgência fosse apregoada segundo o espírito e sentido do papa, aqueles receios seriam facilmente desfeitos, nem mesmo teriam surgido.
92ª Tese
Fora, pois, com todos estes profetas que dizem ao povo de Cristo: Paz! Paz! e não há Paz.
93ª Tese
Abençoados sejam, porém, todos os profetas que dizem à grei de Cristo: Cruz! Cruz! e não há cruz.
94ª Tese
Admoestem-se os cristãos a que se empenhem em seguir sua Cabeça Cristo através do padecimento, morte e inferno.
95ª Tese
E assim esperem mais entrar no Reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas. 

sexta-feira, 13 de junho de 2014

A REDE DE CASAIS CONVIDA VOCÊ

  
Um evento organizado pela Rede de Casais e que conta com o apoio da Rede de Homens, Rede de Mulheres e Rede de Jovens. Você é nosso convidado.   

quinta-feira, 8 de maio de 2014

ENCONTRO PARA CASAIS EM PIRENOPOLIS - GO

INSCRIÇÕES ABERTAS: NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE DE ABENÇOAR SEU CASAMENTO, SUA CASA e SUA FAMÍLIA.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Que tipo de crente é você ?

Que tipo de crente é você ?
Achei interessante e ri bastante, gostaria de poder compartilhar com vocês os tipos existentes de crente. Mas sabe o pior ? Que muitos ali realmente existem, vejam a lista abaixo se tem algum que se encaixa perfeitamente com você ou com alguém que conheça .
Bem não leve a mal, mas é necessário todos nós refletrimos.
Vejamos os mais extravagantes ...


Crente Chiclé - só mastiga a Palavra, mas não engole...
Crente Piolho - anda pela cabeça dos outros...
Crente Pipoca - vive dando pulo...
Crente Macaco - vive pulando de igreja em igreja...
Crente Carrapato - vive colado nos outros...
Crente Sanguessuga - vive sugando os bens dos irmãos...
Crente 007 - esse é o agente secreto de Cristo infiltrado no submundo de Satanás...
Crente Iô-Iô - está sempre saindo e voltando para a mão de Deus...
Crente Elevador - está sempre subindo e descendo na vida espiritual...
Crente Avestruz - vive colocando a cabeça embaixo da terra quando tem um problema...
Crente Leão - não se meta com ele, pois ele é o Rei da Igreja...
Crente Jacaré - tem uma boquinha...
Crente Papagaio - só sabe orar com no máximo usando 20 palavras...
Crente Chuchu - não tem gosto de nada...
Crente Denorex - parece, mas não é...
Crente Brastemp - não tem comparação... (com Cristo)
Crente Tocha - tá toda hora queimando... "Queima demônio, queima...”.
Crente Kiko do Chaves - esse não se mistura com a "gentalha"
Crente Chapolin - você pode contar com tudo, menos com sua astúcia...
Crente Balaão - enxerga espiritualmente menos que uma mula...
Crente Noé - Nunca as coisas são com ele, "Noé comigo irmão”.
Crente 6h - Sempre dependendo da oração dos irmãos: "seis" ora por mim?”.
Crente Aleluia Glória a Deus: Só diz “Aleluia Glória a Deus” na hora errada. Pastor pregando: "Porque o diabo veio para matar..." e o irmão: Aleluia Glória a Deus!
Crente Zagalo - os irmãos tão sempre tendo que engoli-lo
Crente Ari Pistola - só conhece o antigo testamento, a lei e os profetas.
Crente Chacrinha-: só dá abacaxi para os irmãos.
Crente Tortéi: no seu interior, só abobrinha.
Crente Pão de Fôrma - miolo mole, casca grossa, chato e quadrado.
Crente Rexona - A bíblia sempre debaixo do braço...Argh, que cheiro de suvaco!
Crente Cabeleireiro - trabalha só pra fazer a cabeça dos outros...
Crente Penta: Ainda pensa que Deus é 5 - Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, Maria e Santo Antônio.
Crente Rivaldo: Se acha o bom e injustiçado!
Crente açúcar: se sair com chuva, derrete.
Crente Quiabo: vive escorregando.
Crente Oba-Oba: “tudo é festa”.
Crente carrinho-de-mão: alguém tem que empurrá-lo até a igreja.
Crente gelinho: cheio dos “não me toques!”.
Crente florzinha de Jesus: qualquer coisa sai da igreja.
Crente Gabriela: “eu nasci assim, eu cresci assim, e eu sou assim, vou ser sempre assim, Gabriela...”.
Crente machado: qualquer idéia, ele já corta.
Crente Bule: de “pô café” (pouca fé).
Crente escoteiro: só vai a acampamento.
Crente rocambole: enrolado...
Crente Kodak: vive de revelação.
Crente enxada: quando o pastor está pregando, ele diz: “é prá mim!”
Crente pá: quando o pastor está pregando, ele diz: “é pá ele!”
Crente com o dom do canto: fica lá no canto da igreja encostado, e não quer saber de trabalhar!
Crente celular: só vive desligado ou fora de área.
Crente avião: vive nas nuvens.
Crente “Alice no país das maravilhas”: vive sonhando. Acorda, Alice!



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

NESTA 6ª FEIRA - VIGÍLIA DE ORAÇÃO

Com a participação de todas as Redes da Igreja Cristã da Colheita, nesta 6ª feira com
início as 23:00 h e término previsto às 03:00hs da manhã. Todos amados irmãos estão convidados.  

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A ex-miss Brasil Mundo, Luciana Bertolini, relata seu encontro com Cristo

A ex-miss Brasil Mundo, Luciana Bertolini,
relata seu encontro com Cristo

bertuloni
     Luciana Bertolini é pastora, apresentadora do programa “De Tudo um Pouco” junto com seu marido, Maurício Marchini, e Miss Brasil Mundo 2009. Ela pode testemunhar várias experiências com Deus pós-conversão e também de sua experiência no pastoreado. Contudo, assim como muitas pessoas pelas quais oramos hoje, Luciana viveu durante muito tempo debaixo do engano. Veja o que Deus fez na vida da apresentadora, e creia que Deus pode fazer isso e muito mais por quem você tem clamado:
    “Quando era criança, queria ser como meu pai quando crescesse. Ele era presidente de um centro espírita e viajava para dar palestras sobre a religião no Brasil inteiro. Desenvolvi grande interesse em sua crença, criei o hábito de ler livros sobre o assunto e queria seguir os seus passos como médium (termo usado pelos espíritas para definir uma pessoa que ‘recebe’ os ‘espíritos’). Várias ‘entidades’ (espíritos malignos) falaram, através de outros, que eu deveria desenvolver minha ‘mediunidade’ porque teria herdado o dom do meu pai. Contudo, não queria seguir o espiritismo só por causa do meu exemplo em casa; mas buscava a explicação de tudo aquilo que acreditava.
luciana
     Minha família e eu vivemos no engano durante muito tempo, até que meu pai entrou em depressão profunda. Nesta época, ele teve uma experiência pessoal com Deus e se converteu. Não reagi bem a isso e entrei em crise. Pensava: ‘Meu pai está falando agora que acredita em uma coisa totalmente diferente de tudo o que ele me ensinou? Eu aprendi tudo com ele!’. Estava na adolescência e decidi que não seguiria a nova crença do meu pai, porque já pensava por mim mesma e continuaria buscando aquilo que cria.
     Apesar de afirmar que não abandonaria minha religião, minha fé no espiritismo foi muito abalada por causa do meu pai. Acabei começando uma nova busca. Um dia, fui para o meu quarto, ajoelhei e falei com Deus: ‘Eu quero a verdade que o Senhor tem para mim. Não vou acreditar em nada a não ser que tenha uma experiência pessoal, assim como meu pai teve. Preciso dessa verdade vinda de Deus. Não quero ouvir pastor, nem padre. Eu quero ouvir a verdade que o Senhor tem para mim’. A partir dali, comecei a ter várias experiências que mostravam a ‘verdade vinda de Deus’.
   Certo dia, um pastor estava na minha casa orando e meu pai recebeu uma entidade. Este espírito costumava visitá-lo e era uma espécie de “guru” para mim. Tudo que precisava, eu podia pedir e ele realmente trazia mensagens de amor, esperança e tudo de bom. Como poderia desacreditar de espíritos que traziam mensagens tão lindas? ‘Isso não pode ser uma coisa ruim’, pensava. Entretanto, quando aquele espírito que antes trazia palavras tão boas encarnou no meu pai, quis destruir tudo o que via pela frente. Ele dizia: ‘Eu não quero perder esse homem, porque ele tem o dom de falar em público e persuadir pessoas’. Ao presenciar isso, percebi que durante toda minha vida tinha sido enganada.
    A partir daquele momento, minha busca por Deus se intensificou. Um dia, estava andando na rua e falei com Ele: ‘Deus, meu pai sempre me fala sobre aceitar Jesus. Será que preciso disso? Porque eu acho que não preciso aceitar, já que o Senhor vê meu coração’. Logo depois, quando entrei em um ônibus, um senhor que estava sentado do meu lado me perguntou se podia ler a Bíblia para mim. Naquele momento, sabia que Deus ia usar aquele homem de alguma maneira. Ele leu Romanos no capítulo 10, versículos 9 e 10: ‘Se com a tua boca confessares que Jesus é o Senhor e em teu coração, creres que o Senhor o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Pois com o coração se crê para a justiça e com a boca se faz confissão para a salvação’, fechou a Bíblia e não disse mais nada.
    Orei em pensamento, ninguém sabia o que tinha falado com o Senhor. Eu tinha certeza que o que aquele homem tinha dito era uma resposta de Deus. Aceitei a Jesus e passei a buscá-lo com mais sede ainda do que tinha quando seguia ao espiritismo”.
:: Luciana Bertolini
Texto: Natália Celle

Mariana Valadão - Hosana

Envie uma mensagem para Email do amigo